segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Gil Vicente no Mosteiro dos Jerónimos



O Auto da Barca do Inferno foi brilhantemente representado no dia 30 de Novembro de 2012, no claustro do Mosteiro dos Jerónimos. Representada pela primeira vez em 1517, esta obra de Gil Vicente, concebida sem qualquer divisão externa, tinha como função moralizar os espetadores do seu tempo.
No Mosteiro, essa obra vicentina foi representada num cenário intrigante. A utilização de escadotes foi uma ideia claramente inovadora, embora tivesse tornado a representação muito mais complexa. Outro facto intrigante foi a entrada dos atores, cada um deles entrou de forma exuberante, o que combinado com uma grande interação com o público cativou a atenção dos espetadores, não permitindo que estes tivessem perdido o rumo da peça.
Ridendo castigat mores”, ou seja, “ A rir, a rir se dizem as verdades”, este foi o lema de Gil Vicente ao escrever de forma rigorosa e espetacular a peça que deu origem a esta brilhante representação.
                                                                                                   
Carlos Oliveira, nº 23, 9ºE

0 comentários: