domingo, 18 de maio de 2014

A vida




Dentro da barriga
Da minha mãe estou,
Está-se tão bem aqui
Que já nem sei para onde vou.

Acabei de sair,
Chorei, gritei e berrei,
Por mais que chorasse, ninguém me ouvia.
Só sei, só sei,
Que aquele quentinho nunca mais sentirei.

Os meus pais
Roupa me vão comprar.
Mas por mim tanto me faz,
Só quero um babete p’ra me babar.

Em criança
Só quero é brincar,
Tanta brincadeira, tanta brincadeira
Que já me estou a cansar.

Adolescente…Adolescente…
A única coisa em que penso é em ser adulto
Mas quando chegar lá,
Quero voltar a ser um miúdo.

A velhice começa a bater à porta
Fico preocupado, nervoso,
Tenho medo que um dia
Me mandem para o repouso.

                                                                  Ana Lília, nº 1, 6ºH




0 comentários: