quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Carta a Penépole



Oceano, 20 dezembro de 1381

Amabilíssima Penélope:
Escrevo-te para pedir desculpa por não estar aí contigo em Ítaca, mas surgiu um imprevisto. O barco desviou-se e fomos parar à Ciclópia. Tu nem sabes o que aconteceu…
Um ciclope comeu alguns dos meus companheiros e eu consegui com que ele não nos comesse, dando-lhe vinho. Mas ele bebeu tanto que adormeceu. Assim, nós tivemos a oportunidade de afiar um pau e espetar-lho no seu único olho, cegando-o. Depois, conseguimos escapar. Eu tive tanto medo que ele me devorasse!
A parte que mais me divertiu foi aquela em que lhe espetámos o pau no olho.
Então, como estás tu e a família? Eu tenho tantas saudades vossas! O que mais quero é regressar a casa o mais depressa possível.
Adoro-te muito!
                                                                                                           Ulisses         

Ana Lília, nº 1 6º H
                                                                                                                                 

0 comentários: